web analytics

De acordo com a Agência Lusa, em notícia publicada no Sol, “todas as 42 nascentes do concelho de Sintra analisadas por um grupo de peritos contêm água imprópria para consumo, tendo sido recomendada à Autoridade de Saúde a afixação de avisos à população e o encerramento de algumas bicas e fontanários.”

Em 2006 chegámos a acompanhar alguns colegas na colheita de amostras de água para o estudo efectuado por investigadores do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), que hoje divulgaram no 9º Congresso da Água, organizado pela Associação Portuguesa dos Recursos Hídricos (APRH), que 38 das 42 nascentes estudadas contêm água classificada de “alto risco” para a saúde pública devido a contaminação fecal.

Segundo uma das autoras do estudo, “a origem dessa contaminação pode estar relacionada com fossas sépticas, rupturas na rede de esgotos ou até, no que respeita às nascentes em meios rurais, por causa dos dejectos de galinhas ou ovelhas”

A água de nascentes naturais, de muito dos fontenanáros e bicas, objecto do estudo, continua a ser cobiçada pela população local, que parte em romaria para poder encher os seus garrafões.

Contrariando a ideia de que as águas naturais têm melhor qualidade do que as da rede pública de abastecimento público, nomeadamente no concelho de Sintra, as conclusões do estudo basearam-se em análises a várias nascentes da vila de Pero Pinheiro, Sintra, Queluz e Algueirão-Mem Martins.

Leiam a notícia na íntegra aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *