web analytics

Chegou ao fim o segundo dia do Congresso Internacional de Saúde Ambiental.

O dia de hoje foi, para além de interessante, divertido. Tudo começou com o painel Impactes das Alterações Climáticas na Saúde, onde contámos com a presença do José Palma, do Eduardo Santos, do Francisco Ferreira e da Isabel Lança (a ausência do “prefixo” é intencional). Ficámos a saber que o infanticídio seria uma solução a adoptar para o combate à superpopulação. Tão interessante quanto este painel, acabaram por ser as conversas que depois fomos tendo com um dos convidados ali presentes, autor do despropósito acerca da superpopulação.

As sessões paralelas de hoje, tanto as da manhã como as da tarde, acabaram por ter o mesmo “problema” que as do dia anterior: muitas ausências. Ainda assim, as que tivemos oportunidade de assistir foram interessantes.

A sessão plenária da tarde, Riscos Emergentes em Saúde Ocupacional, contou também com a excelência de vários comunicadores. Destaco aqui a comunicação do Garcia Pereira, o advogado dos trabalhadores, que arrancou um magote de palmas quando aludiu à soberba da Autoridade para as Condições do Trabalho (palavras minhas) na medida em que, ela própria, não tem serviços organizados de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho. De seguida tivemos a oportunidade de ouvir o José Pinto da Costa que, com o tom que o caracteriza, nos deu a conhecer a relevância das vaginas e dos testículos, naquilo que para a incapacidade para o trabalho podem significar (sim, não leram mal!).

Foi também neste dia que a Patrícia, a nossa leitora que havia ganho a última Smartbox Aventura que aqui tínhamos oferecido, se chegou a nós, apresentando-se. A ela e às restantes colegas com quem estivemos, por aquela ocasião, à conversa, desejo as maiores felicidades.

Um cumprimento também especial aos estudantes de Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa que em Coimbra se fizeram representar. Hoje deixamos aqui uma fotografia de parte da comitiva. Amanhã, quem sabe, mostraremos os restantes elementos.

À noite, chegou entretanto a hora do jantar do congresso. Comeu-se bem a bordo do Basófias e trocaram-se algumas impressões com colegas do Azerbeijão e do Bahrain. Foi também a bordo do Basófias que decidimos o ano e a localização onde o próximo Congresso Internacional de Saúde Ambiental irá decorrer. Por razões óbvias, daremos aqui a notícia apenas em segunda mão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *