De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a Saúde Ambiental aborda os aspetos da saúde e qualidade de vida humana, determinados por fatores ambientais, quer sejam eles físicos, químicos, biológicos ou sociais. Refere-se também à teoria e prática de avaliação, mitigação, controlo e prevenção dos fatores de risco que presentes no ambiente podem afetar de forma adversa a saúde humana das gerações atuais e vindouras.

A Área Científica de Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) tem como grandes áreas temáticas a Gestão Ambiental, a Saúde Ocupacional e a Saúde Pública e Ambiental. Atualmente, o seu contributo ocorre não só na formação graduada, mas também em programas formativos pós-graduados e de formação contínua, assim como em projetos de investigação e na prestação de serviços à comunidade.

Além daqueles que são os contributos para a aquisição e desenvolvimento de competências em vários perfis profissionais, são ainda facultadas, durante o processo de formação, as ferramentas que permitem aos estudantes adquirir e procurar aptidões adicionais para que se mantenham atualizados e informados no que concerne ao seu conhecimento técnico e científico. Pretende-se, dessa forma, assegurar que a apreciação dos fatores ambientais seja criteriosa, de modo a identificar e avaliar potenciais fatores riscos para a saúde humana.

O licenciado em Saúde Ambiental, depois de frequentar o respetivo curso, pode desenvolver a sua atividade nas três áreas de intervenção já enunciadas, nomeadamente: Gestão Ambiental, Saúde Ocupacional e Saúde Pública e Ambiental. Neste âmbito, o profissional de Saúde Ambiental identifica, avalia e monitoriza os fatores de risco para a saúde e segurança resultantes da atividade do Homem e, posteriormente, propõe medidas de eliminação e/ou controlo.

Esta é uma profissão em constante desenvolvimento, cujo campo de ação se situa na área da prevenção da doença e promoção da saúde, podendo ainda o profissional de Saúde Ambiental desenvolver estudos de investigação nas suas áreas de intervenção e desempenhar funções na área da gestão, formação e ensino.

A conclusão do curso dá acesso à Cédula Profissional de Técnico de Diagnóstico e Terapêutica, área de  Saúde Ambiental (ver Decreto-Lei n.º 117/95 de 30 de maio), emitida pela Administração Central do Sistema de Saúde, IP do Ministério da Saúde, segundo o artigo 5.º do Decreto-lei 320/99, de 11 de agosto. Existe ainda a possibilidade de obtenção, de acordo com a Lei n.º 42/2012, de 28 de agosto, do Título Profissional de Técnico Superior de Segurança no Trabalho (homologado pela Autoridade para as Condições de Trabalho).

O licenciado em Saúde Ambiental, por força das competências adquiridas pela frequência do curso de licenciatura em Saúde Ambiental, pode desempenhar funções, dentre outros, em:

  • Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES);
  • Autarquias / Câmaras Municipais;
  • Centros de Investigação e Desenvolvimento (I&D);
  • Empresas de Construção Civil;
  • Empresas de Consultoria;
  • Empresas de Higiene e Segurança Alimentar;
  • Laboratórios de Saúde Ocupacional e Ambiental;
  • Organizações não Governamentais (ONG’s) ligadas ao ambiente;
  • Seguradoras;
  • Serviços de Saúde Ocupacional / Segurança no Trabalho;
  • Serviços Públicos da Administração Central, Regional e Local; e
  • Sistemas de Gestão (ISO das séries 9000, 14000, 22000, OHSAS 18000, etc.).

Atualmente existem ainda vários protocolos com instituições académicas europeias que permitem a mobilidade internacional dos estudantes no âmbito do programa ERASMUS+.

Recentemente a ESTeSL, através da área científica de Saúde Ambiental, tornou-se Membro Académico Associado da International Federation of Environmental Health (IFEH).

Informações complementares:

  • Cerca de 30 alunos concluem anualmente o curso de licenciatura em Saúde Ambiental nesta instituição.
  • A licenciatura em Saúde Ambiental apresenta uma Taxa de Emprego de 95,6%, informação obtida em dezembro de 2014 considerando os alunos que se diplomaram no curso entre os anos letivos 2009/10 e 2012/13, sendo contabilizados os desempregados registados no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Se tiver alguma questão que queira colocar, não hesite em nos contactar!!

Se apreciou o nosso post, sinta-se à vontade para subscrever o nosso Feed