De acordo com o Portugal Diário, são trinta as medidas que serão apresentadas e discutidas com a Agência Portuguesa do Ambiente, no âmbito do Plano Nacional para a Prevenção de Resíduos, com o objectivo de reduzir os resíduos produzidos por cada português.

Apesar de já há algum tempo se falar neste propósito e ser este, a Redução, o primeiro dos 3 R’s (Reduzir, Reutilizar e Reciclar), raramente são tomadas iniciativas realmente tendentes à redução dos resíduos produzidos. Regra geral dá-se primazia à reciclagem!

Redução de resíduos... ou resíduos escondidos?
(imagem recolhida no blogue Pópulo)

O Plano Nacional para a Prevenção de Resíduos Sólidos Urbanos está a ser elaborado pelo Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação (INETI) e deve estar concluído, segundo o secretário de Estado do Ambiente, Humberto Rosa, em meados deste ano.

O coordenador da Unidade de Tecnologias de Prevenção e Reciclagem do INETI, Paulo Partidário, revelou esta quarta-feira, no 3.º Fórum Nacional de Resíduos, que o documento «está em fase de discussão» com a Agência Portuguesa do Ambiente e contém para já 30 medidas.

Estas medidas incidem sobre fluxos específicos de lixo produzidos pelos cidadãos, incluindo matéria orgânica, papel e cartão, embalagens, etc.

Entre as medidas incluem-se, por exemplo, a compostagem caseira, a doação de bens não consumidos aos bancos alimentares, adesão à factura electrónica, preferência por embalagens retornáveis com depósito, consumo de água da rede e venda de produtos em embalagens familiares.

De acordo com o cenário mais realista traçado pelo INETI, a concretização deste Plano, cujo período de vigência decorre entre 2007 e 2016, permitirá uma redução de 50 quilos de lixo anuais por habitante. Num cenário mais optimista, a redução poderia atingir os 100 quilos.

Cada português produz, em média, quase 500 quilos de lixo por ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *