web analytics

Este ano, há semelhança do que tem vindo a acontecer em anos letivos anteriores, todos estudantes da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), e em particular os do curso de licenciatura em Saúde Ambiental, foram desafiados a realizar trabalhos no âmbito do programa Jovens Repórteres para o Ambiente.

Muitos dos trabalhos são integrados em diferentes unidades curriculares, com enfoque para as unidades curriculares de Saúde Ambiental (1.º ano) e Gestão de Resíduos (2.º ano), sendo que os estudantes terão que apresentar em grupo, e dependendo do tipo de trabalho que se propõem fazer, um guião, uma storyboard e uma ficha de projeto. Regra geral, todo o processo decorre ao longo de cada um dos semestres, com a devida orientação do professor responsável da unidade curricular. No caso da unidade curricular de Saúde Ambiental, os estudantes têm total liberdade para escolher o tema do seu trabalho, sendo este validado pelo docente. Todo o processo  culmina com um pitch onde cada grupo de trabalho apresenta o seu produto final (artigo, vídeo-reportagem, fotorreportagem, vídeo-campanha ou foto-campanha) e é nesta fase que cada um dos trabalhos é sujeito a avaliação por parte do professor e seriado para concurso por todos os estudantes presentes em sala. Tem sido esta a metodologia de trabalho que possibilita aos estudantes abrirem largas à sua imaginação e criatividade, adquirir novos conhecimentos e desenvolver competências diferenciadoras e cada vez mais valorizadas.

Para além dos trabalhos que já referimos terem sido premiados (ver Videorreportagem de Saúde Ambiental recebe Menção HonrosaVídeo-campanha ESTeSL conquista segundo lugar em concurso nacional e Artigo de estudantes de Saúde Ambiental premiado no concurso Jovens Repórteres para o Ambiente), este ano fechamos o ciclo com mais uma conquista. Falamos do primeiro lugar alcançado na categoria de foto-campanha com um trabalho dos estudantes Adriana Porto, Andreia Silva, Catarina Teixeira, Joana Azevedo, João Pinto, Leonor Amaro, Luís Araújo, Mauro Batista, Mónica Figueira, Nuno Pires, Patrícia Fernandes, Raquel Bacalhau e Vladimir Silva.

Este ano foram submetidos trabalhos em todos os formatos (escrita, fotografia e vídeo) e os resultados foram fantásticos. Se é certo que no âmbito do concurso nacional Jovens Repórteres para o Ambiente apenas alguns viram o mérito do seu trabalho reconhecido, para nós todos fizeram um trabalho excelente.

Muitos parabéns a todos os estudantes, sem exceção…

Somos o que comemos!

Somos o que comemos: quando o plástico entra na cadeia alimentar ao teu prato irá parar.

Num futuro próximo, por força da atividade humana, no mar irá existir mais plástico do que peixe. Com as tuas ações não prejudicas apenas a tua alimentação mas também os ecossistemas. Mantém os mares e oceanos limpos e não poluídos para não te servirem resíduos.

Para isto prevenir, deverás reduzir!

#PlanetorPlastic

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *