web analytics

Depois de a propósito da Greve dos TDT, quem fez? ter perguntado “Quem fez?… Quem foi à manifestação?”, chegou-nos a informação de que na manifestação em frente ao Ministério da Saúde onde, segundo consta não teriam estado mais de 200 Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica, estiveram presentes 9 Técnicos de Saúde Ambiental no exercício, além de um docente da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra que se fez acompanhar por uma estridente “claque” feminina. A propósito disto, o comentário que nos fizeram chegar foi, e passo a citar, “As alunas de SA de ESTSCoimbra são fantásticas!!

Eu também acho. As de Coimbra, Beja, Lisboa, Porto e Macedo de Cavaleiros 🙂

É bom ver que também os estudantes já têm preocupações desta natureza, ainda que eventualmente induzidas.
Temos algumas fotografias da manifestação e assim que tivermos as devidas autorizações dos protagonistas, prometemos publicá-las aqui, fazendo uma actualização a este post (ver as imagens e os sons da manifestação).

Não tivemos oportunidade de ver, mas sabemos que houve uma reportagem em directo, aproximadamente às 17h15m, na TVI24.

Por fim, à semelhança daquele que é o sentimento dalguns colegas com quem falei, tenho pena que os Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica, e os Técnicos de Saúde Ambiental em particular, não se mobilizem.

Se passarem os olhos pelo mapa de adesão à greve da Secretaria-Geral do Ministério da Saúde ficarão surpreendidos pelos números apresentados. Das duas uma: (i) ou não contabilizam sequer os Técnicos de Saúde Ambiental dos Centros de Saúde (será que não sabem que somos Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica?); ou (ii) se os contabilizam, raros (ou nenhuns) são aqueles que aderiram à greve.

Se acham que os números que a Secretaria-Geral do Ministério da Saúde apresentaram são uma falácia, respondam-nos aqui, quem fez?…

5 thoughts on “Como foi a manifestação… e a intrujice do mapa de adesão à greve”
  1. Pelos vistos a Secretaria Geral da Saúde não sabe que a Saúde Ambiental faz parte dos TDT… Fiz greve e volto a fazer, no ACES Póvoa de Varzim/Vila do Conde!

  2. Boa tarde!
    Eu trabalho no C. S. Alcobaça e fiz greve, bem como, a minha colega… e para surpresa minha!!! Não fomos contabilizados como tal. Porque será?! MANIPULAÇÃO?!

  3. Olá colega.
    No Centro de Saúde de Ovar, foram 3 os TDT que fizeram greve, 1- TSA; 1- H.O. e 1 – Fisiot.
    Dos 3 nem um vem referido no mapa.

    Cumprimentos

    Filipa Campos

  4. Olá

    Aqui no Centro de Saúde de Santiago do Cacém 3 técnicos fizeram greve no dia 23/09/09 (2 de Saúde Ambiental) e nem sequer vem referido no mapa!!!

    Cumprimentos,
    Rosa Calado

  5. (Começo por confessar que não divulguei a realização da greve. Por me parecer pouco mais do que inútil, além de oportunista.)

    Pela informação que disponho, terão sido poucos os TSA que aderiram à greve. Por múltiplas razões. Referirei duas ou três:

    Uma: a greve não abrangeria o universo dos TSA mas exclusivamente os TSA que exercem a profissão nos serviços do Ministério da Saúde. Ignora (ignorou) todos os outros, que talvez sejam muitos mais…

    Outra: a generalidade dos TSA que trabalha nos Centros de Saúde – por decisão do governo (dito) socialista, presidido por José Sócrates – exerce a profissão em condições contratuais precárias. Logo, a adesão à greve (não sejamos ingénuos) seria um factor de ponderação no momento da eventual renovação do contrato…

    Ainda outra: uma greve dos TSA não tem impacto público e (em concreto) não prejudica as actividades do “sector “ de Saúde Ambiental do Serviço de Saúde Pública dos Centros de Saúde. A não comparência numa Vistoria – em conjunto com outras entidades – não inviabiliza a realização da vistoria nem sequer a emissão do Auto. A colheita de amostras de água pode ser transferida para outra data. A emissão de Pareceres Sanitários tem prazos que excedem as 07.00 horas de um dia de greve…

    Mais outra: a realização de uma greve no final de uma legislatura e em período de campanha eleitoral pressupõe acções de concertação política engendrada pelos sindicatos nas (esclareço: “nas” e não “nos”) quais muitos dos TSA não se revêem…

    Finalmente: no próximo domingo (09/09/27), dia das Eleições Legislativas, os TSA podem (e devem) votar de acordo com a consciência política de cada um.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *